segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Semana Mundial de Aleitamento Materno

Eu já dediquei um post a esse assunto aqui, mas considerando a sua importância e por estarmos na Semana Mundial de Aleitamento Materno - SMAM, eu não poderia deixar de voltar a falar em amamentação

A Semana Mundial de Aleitamento Materno 2013, que teve início na última quinta-feira e segue até o dia 8 de agosto, tem como tema “Apoio às Mães que Amamentam: Próximo, Contínuo e Oportuno”. A campanha foi criada pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (Waba, do nome em inglês) e ocorre em 170 países, com a meta de aumentar os índices de aleitamento materno.



Eu não tenho dúvidas de que o sucesso que eu tive na amamentação da Maria Luísa se deve muito ao apoio que recebi na Clínica Santa Helena, onde ela nasceu.

A Malu nasceu de cesariana, mas saiu do centro cirúrgico junto comigo e foi colocada para mamar logo em seguida, ainda na sala de recuperação. Subimos para o quarto juntas e ela ficou grudadinha no peito o tempo todo, até a hora do primeiro banho. Esse contato na primeira hora de vida é essencial para o aleitamento, pois sugando, o bebê estimula o organismo da mãe a produzir leite. 

Além disso, eu contei com a ajuda das enfermeiras da Equipe de Apoio à Amamentação da Santa Helena que foram muito atenciosas, passavam no quarto para dar orientações e ainda vinham tirar as minhas dúvidas toda vez que eu chamava. Foram elas que me ensinaram a ver se a "pega" da Malu estava correta e me explicaram que a pega correta evita as terríveis rachaduras nos seios. Ao primeiro sinal de rachadura, elas me orientaram a usar uma pomada a base de lanolina e, rapidinho, fiquei bem.

Ao chegar em casa, no terceiro dia após o parto, o leite "desceu" com tudo!!! Isso é a prova de que a cesariana não impede a amamentação!

Acho que ninguém tem dúvidas quanto às vantagens que a amamentação traz, tanto para mãe quando para o bebê, mas não custa nada relembrar:
  • Auxilia do estabelecimento do vínculo mãe-bebê.
  • Constitui a mais econômica e eficaz  forma de redução da mortalidade infantil.
  • O leite materno tem tudo o que o bebê precisa até os seis meses, inclusive água, e é de mais fácil digestão. Além de ser muito mais prático!
  • Funciona como uma vacina, protegendo a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias.
  • Diminui os problemas ortodônticos e fonoaudiológicos associados ao uso de mamadeira, 
  • Para a mãe, facilita a involução uterina, além de estar associado a menor probabilidade de desenvolver câncer de mama e ovário. 

A Malu foi amamentada exclusivamente até os 6 meses, quando iniciamos a introdução dos alimentos sólidos, e mamou até 1 ano e 2 meses, quando ela decidiu que era hora de parar (apesar de eu estar preparada para amamentá-la pelo menos até os 2 anos).

Lendo vários relatos sobre o assunto nos blogs de outras mamães, eu conclui que tive mesmo muita sorte na amamentação da Maria Luísa. Para mim foi tudo muito tranquilo e eu não tive muitas dificuldades. Amamentar para mim foi muito natural e a experiência mais gratificante que a maternidade me proporcionou.



Que saudade que eu sinto de amamentar! 

Um comentário:

  1. Foto Linda!!!
    Também sinto muitas saudades de amamentar!
    A Yasmin só mamou por 4 meses, mas por conta do soprinho do coração, espero me realizar plenamente na amamentação de um futuro filho, é um sonho amamentar até os 2 anos!


    Beijo em vocês!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo seu comentário!
Eu respondo por aqui. Volte para dar uma olhadinha na resposta.
Se precisar de uma reposta mais urgente, mande um e-mail lucianawinck@hotmail.com
Beijos!