terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Desafios da APLV no ambiente escolar

Eu pensei em não escrever aqui hoje... Talvez não seja um bom momento para abordar esse assunto porque estou muito chateada, triste, cansada talvez, com todos os pequenos grandes desafios que enfrento todos os dias por causa da APLV. Mas pensei bem e não posso deixar passar... Esse blog tem o objetivo de falar da APLV, divulgar informações, compartilhar experiências, mas é também o meu cantinho de desabafo! 

Eu já falei desse assunto antes, neste post aqui, mas, infelizmente, hoje venho contar mais uma situação que considero de exclusão da criança alérgica no ambiente escolar. 

Na última sexta-feira eu saí um pouco mais cedo do trabalho e fui buscar a Malu na escola junto com o papai. Ela fica tão feliz quando eu vou, porque, geralmente, é só o papai que vai buscá-la. 

A professora a trouxe até o portão e comentou que ela tinha comido os morangos do bolo de uma coleguinha... Na hora eu não entendi direito, haviam outras mães pegando seus filhos, a Malu falava comigo e eu imaginei apenas que ela tinha sido muito gulosa, já que ama morango!

Mas, antes de entrarmos no carro, eu e a Malu fomos ver os bichinhos (galinhas, patos, etc.) que ficam na propriedade em frente à escola. Foi quando ela me contou que a coleguinha estava de aniversário, que teve bolo, mas ela não pode comer porque tinha leite, então ela ganhou os morangos que estavam em cima do bolo. Foi aí que a minha ficha caiu! 

Voltei para o portão da escola e confirmei a história com uma outra professora que, toda sem graça, me falou que a mãe não tinha avisado que iria mandar bolo. 

Fiquei imaginando a cena dela comendo os morangos, separada das outras crianças que comiam bolo, que ela tanto gosta e que eu faço toda a questão de mandar para a escola quando tem festa. Achei melhor não falar nada na hora e segurei o choro. 

Para muitos pode parecer besteira o estou contando, mas esse episódio mostra o despreparo das escolas para lidar com uma criança com restrição alimentar. Em primeiro lugar, eles não poderiam ter dado os morangos do bolo para a Malu. Eles estavam contaminados! Graças a Deus, ela não teve nenhuma reação grave, mas se fosse uma criança mais sensível poderia ter tido. Em segundo, a escola não faz valer as regras acordadas com os pais. Eu lembro muito bem de uma reunião no final do ano passado em que foi falado que os pais deveriam avisar com antecedência para fazer as comemorações de aniversário na escola.

Passei o final de semana inteiro remoendo isso, e eu e o papai conversamos e decidimos ir na escola na segunda-feira conversar com a dona/coordenadora. 

Eu levei uma cartilha sobre APLV para escolas, educadores e cuidadores, mais uma vez, conversei, expliquei os riscos desse tipo de atitude e cobramos uma posição com relação as festividades na escola. 

A coordenadora foi atenciosa, prometeu ler a cartilha e repassar as informações para as professoras e também discutir as regras para as comemorações de aniversário na próxima reunião de pais. Vamos ver se as coisas melhoram.

Hoje num dos grupos do facebook de mães de alérgicos que participo, uma mãe desesperada relatou que a sua filha comeu o lanche da escola ao invés do seu e passou muito mal!

As escolas precisam se preparar para receber essas crianças com restrição alimentar, pois, infelizmente, o número de crianças alérgicas está aumentando cada vez mais.

Algumas ações simples poderiam ser adotadas para melhorar o atendimento a essas crianças:
  • Em primeiro lugar, porque não ter um cardápio livre dos principais alergênicos (leite, ovo) para que todas as crianças possam comer a mesma coisa sem riscos e evitando as contaminações? Isso é possível e algumas poucas escolas já adotam essa prática.  
  • Limpar as mesas e orientar a higiene das crianças após as refeições. 
  • Criar regras para as festividades, com prazo para avisar a escola e os pais das crianças alérgicas ou proibir para evitar situações de exclusão.
  • Proibir a distribuição de lembrancinhas de aniversário com guloseimas ou solicitar aos pais dos aniversariantes que entrem em contato com os pais das crianças alérgicas para promover a substituição dos itens proibidos. 
  • Cuidar também com os presentes entregues nas datas comemorativas como páscoa, dia das crianças, natal, etc. 

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Festa sem alergia

A Malu irá completar 3 aninhos em maio (como o tempo passa rápido!) e eu estou começando a planejar como iremos comemorar esta data tão importante.

Ela vai ter uma festinha na escola pela primeira vez! Mas é coisa simples. Vou fazer um bolo e algum salgado que ela possa comer, mandar suco, copinhos e guardanapos decorados.

Mas vamos comemorar em casa também, apenas com os amigos e familiares mais próximos. Já escolhemos o tema (mas é surpresa!) e eu estou com a cabeça à mil pensando na decoração. Mesmo sem poder gastar muito, quero fazer uma festinha bem linda!

Mas esse ano tenho uma novidade... Ao contrário dos anos anteriores, esta festa vai ser livre de leite e derivados!


Como foram as festas anteriores

Quando a Malu fez 1 aninho, a alergia à proteína do leite tinha sido descoberta a pouco tempo e a alimentação dela ainda era de bebê. Então, a sua festinha teve os quitutes normais, salgadinhos com queijo, doces e bolos com leite condensado. Ela nem notou toda essa comida diferente e comeu a sua papinha, feliz da vida!. Eu só não tinha ideia do risco a que estava expondo a minha filha! Graças a Deus, ela não teve nenhuma reação.

Na festa de 2 anos, eu fiz bolinhos e docinhos sem leite, especialmente para ela, e o restante tinha leite e derivados. Ela comeu só o que podia, mas mesmo assim, apareceram umas bolinhas no rosto... Possivelmente, uma reação aos muitos beijos cheios de leite que ganhou nas bochechas!


O terror das festas 

Quem é mãe de uma criança alérgica sabe o estresse que é uma festa infantil! Preparar o kit com as guloseimas que ela pode comer é fácil, duro é ter que ficar de olho na criança o tempo todo para que ela não coma algo que não pode, ter que tirá-la da festa no momento em que estouram aquele balão horroroso cheio de doces e ainda "sequestrar" a lembrancinha antes que ela veja! Quando a festa é na escola, então! Temos que confiar que as professoras farão esse papel.


Dessa vez vai ser diferente!

É por tudo isso que ela vai ter uma festinha livre de leite e derivados! Ela vai poder comer tudo o que for servido e eu e o papai vamos poder relaxar um pouco e apenas aproveitar o momento.

Estamos planejando fazer um churrasco (assim escapamos dos salgadinhos proibidos) e eu mesma vou fazer bolo e docinhos sem leite. Corro o risco de não agradar algum convidado, mas tenho certeza que a Malu ficará muito feliz em poder comer a mesma coisa que os convidados.


É possível!

Eu tenho pesquisado na internet e visto que muitas mamães fazem festas para os seus filhos alérgicos sem aquilo que eles não podem comer. Então me animei e usei algumas receitas já testadas na comemoração do aniversário do papai no início desse mês.

Fiz carne louca com pão, torta de legumes, torta fria de frango, sanduíches de atum, pipoca e bolo de chocolate com morango. Tudo sem leite! E não sobrou quase nada.

Mesa pronta

Aqui aparece o bolo (esqueci de fotografar mais de perto)

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O Papai Noel levou a chupeta!

A Maria Luísa pegou a chupeta ainda na maternidade... Juro que tentei não oferecer, mas depois de passar a primeira noite inteirinha com ela no peito (era só tirá-la para começar um berreiro), vi que ela tinha necessidade de sugar e a chupeta virou minha grande aliada. 

Apesar de todas as críticas ao uso do bico, eu não me arrependo de ter oferecido, não tive nenhum problema na amamentação ou qualquer outro por isso. Mas tomávamos alguns cuidados: as chupetas eram ortodônticas, trocadas a cada 3 meses em média e não deixávamos que ela usasse o tempo todo. Ela usava para dormir e nos momentos de cansaço. Na escola também, a professora tirava assim que ela chegava. 

Na primeira consulta com o dentista, ela já tinha quase 2 anos e fomos orientados a não deixar que ela passasse dos 3 anos usando chupeta para não prejudicar a sua dentição. Então, o papai começou a planejar como a retirada. 

Desde a metade do ano passado, ele começou a falar para ela que o Papai Noel iria levar a chupeta em troca dos presentes de Natal. No final do ano, com a proximidade das festividades, a mensagem era reforçada a todo momento e a própria Malu já estava falando que iria entregar a chupeta. 

Na noite de Natal, depois da entrega dos presentes, ela pediu o seu "mumú" (nome que ela deu para o bico) e o papai falou que o Papai Noel tinha levado embora. Rapidamente, eu escondi as chupetas (tinha esquecido de fazer isso antes!).

Já era tarde, passava da hora que ela costuma dormir, quando a levei para o quarto. Fiquei alguns minutos com ela no colo. Ela estava muito agitada por conta da visita do Papai Noel, os presentes, etc. Quando se acalmou, a coloquei no berço. Ela pediu a chupeta e, mais uma vez, eu expliquei que o Papai Noel tinha levado. Ela então pediu para eu ficar com ela no quarto, sentei na poltrona de amamentação e alguns minutos depois ela adormeceu, vencida pelo cansaço.

Pensei que ela iria acordar pedindo pela chupeta, mas, para minha surpresa, ela passou o dia inteiro sem perguntar nada. A hora da soneca foi um pouco complicada, ela tinha dificuldade em se acalmar para dormir, mas não pediu a chupeta. À noite foi a mesma coisa. 

No dia 26/12 fomos para a praia. Passamos 9 noites fora da rotina e em cama compartilhada. O que de certa forma a ajudou nessa transição. Ela exigia mais a minha presença na hora de dormir, demorava um pouco para pegar no sono, mas não pedia mais a chupeta. 

Voltando para casa, tivemos que fazer uma readaptação ao berço e à "vida sem chupeta". Como quando ela começou a adormecer sozinha, eu (ou o papai) sentava na poltrona de amamentação até ela pegar no sono.

Confesso que eu não esperava que essa transição fosse assim tão tranquila! Sempre que eu pensava na retirada da chupeta, imaginava que seriam noites sem dormir, com ela chorando. Ainda bem que eu estava errada!

Hoje eu agradeço ao papai por ter sido tão persistente (talvez eu tivesse esperado mais um pouco) e começado a prepará-la cedo. Foi graças a essa preparação que ela superou essa fase em traumas. 

Chupeta agora, só nas fotos...

A primeira foto, ainda na maternidade, com algumas horas de vida


A última foto, alguns dias antes do Natal

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

As receitas das férias

Confesso que não me dediquei muito à cozinha nessas férias... Um pouco por causa do calor, mas também para evitar as "gordices" e piorar ainda mais a dieta! kkkkk

Mas sempre invento uma coisinha ou outra...

PAVÊ CHOCOCO
Essa foi a sobremesa do Natal

Ingredientes:
1 pacote de biscoito champanhe (usei da Bauducco, mas contém traços de leite)
Leite vegetal para molhar os biscoitos (eu usei de soja)
500 ml de leite de coco
1 gema peneirada
6 colheres de açúcar
2 colheres rasas de amido de milho
1 barra de chocolate meio-amargo sem leite
1 caixinha de creme de soja
1 pacote de flocos de coco não adoçado
 
Modo de preparo:
Levar ao fogo 400 ml de leite de coco, a gema, o amido de milho dissolvido em um pouquinho de água fria e o açúcar, mexendo sempre, até engrossar.
Passar os biscoitos na mistura de 100 ml de leite de coco e 200 ml de leite vegetal.
Forrar o fundo de uma travessa com os biscoitos e despejar o creme por cima.
Derreter o chocolate no microondas ou em banho-maria, juntar o creme de soja e misturar bem.
Cobrir o creme e colocar os flocos de coco por cima.
Levar à geladeira por algumas horas antes de servir.

* Desculpem a foto, mas foi a única que eu tirei...



BOLO DE CENOURA COM LARANJA

Ingredientes:
1 cenoura pequena
2 ovos
1/2 xícara de óleo
1 xícara de açúcar
3/4 xícara de suco de laranja
2 xícaras de farinhas de trigo
1 colher de sopa de fermento.

Modo de preparo:
Bater no liquidificador a cenoura em pedaços, os ovos, o óleo, o açúcar e o suco. Depois misturar com a farinha de trigo e o fermento. Levar ao forno para assar em forma untada à 200 graus por cerca de 30 min ou até que espetando um palito este saia limpo.

Adoro bolo com café fresquinho!


BOLO DE PÊRA COM IOGURTE

Ingredientes:
1 pêra grande
2 ovos
1/2 xícara de óleo
1 xícara de açúcar
1 copo de iogurte (usei de soja sabor pêssego)
2 xícaras de farinhas de trigo
1 colher de sopa de fermento.

Modo de preparo:
Bater no liquidificador a pêra em pedaços (tirar só as sementes, deixar a casca), os ovos, o óleo, o açúcar e o iogurte. Depois misturar com a farinha de trigo e o fermento. Levar ao forno para assar em forma untada à 200 graus por cerca de 30 min ou até que espetando um palito este saia limpo.



PICOLÉ DE UVA

Eu descobri no Blog Panelaterapia que o segredo para fazer picolés caseiros sem gelo é usar liga neutra. Então, resolvi testar umas forminhas de picolé que eu tinha em casa.

A minha forma é bem pequena, cabem somente 200 ml de líquido, se a sua forma for maior, aumente as quantidades,

Ingredientes:
200 ml de suco de uva ou outro a seu gosto (eu diluí em água porque acho o suco de uva puro muito forte)
1 colher de sopa rasa de açúcar orgânico (opcional)
1/2 colher de café de liga neutra

Modo de preparo:

Bata tudo no liquidificador, coloque na forminha e leve ao congelador.
Pode ser feito com sucos de outras frutas e também colocar pedacinhos da fruta no fundo da forminha.

A Malu super aprovou!



* Use sempre produtos da sua confiança e que você tenha informações sobre os alergênicos. Em caso de dúvidas, consulte o SAC.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

O que fizemos nas férias

Como fiquei muito tempo sem postar aqui no blog, vou contar de forma bem resumida o que fizemos durante esse período.

Natal

Passamos o Natal em casa, na companhia dos tios Junior e Ana, as primas Catharina e Ana Clara, os tios Marcello e Patrícia e os vovôs Osmar e Jairo.

A Malu estava na maior expectativa para a vinda do Papai Noel e, quando falamos que ele estava chegando, ela ouviu até o barulho das renas! Olha o que a imaginação de uma criança é capaz de fazer! Foi muito gostoso ver a emoção nos olhinhos dela. 

Foi o tio Marcello que encarou a difícil missão de vestir a roupa super quente e se saiu muito bem. Foi o Papai Noel mais engraçado que eu já vi. Muito obrigada, tio Marcello. 

Ah! Nessa noite ela deixou de usar a chupeta, mas eu vou fazer um post sobre esse assunto depois. 

Papai Noel entregando os presentes
Malu curtindo a Casa da Minnie que tinha acabado de ganhar

Reveillon

Na companhia dos dindos e da Luísa passamos alguns dias na Praia da Daniela.

A Malu e a Luísa brincaram muito... e brigaram também! kkkkk Mas isso é coisa de criança, elas se adoram!

Aproveitei esses dias para tirar a fralda noturna e deu super certo. Minha mocinha não usa mais fralda desde 26 de dezembro.

Malu curtindo a praia
Como gosta de brincar na areia
Banho de piscina com a Luísa
Noite de Reveillon
  
Foi na praia que ela nos deu o maior susto! Cortou o lábio com um aparelho de barba que encontrou no banheiro. Nunca vi tanto sangue na minha vida! Mas graças a Deus, foi um corte bem pequeno e sarou logo.

Dormindo depois do susto

Primeira vez no cinema

Levamos a Malu para assistir o filme Frozen - Uma aventura congelante. Foi a primeira vez dela no cinema e já começou com um filme em 3 D!

Antes do filme, passou uma animação dos 50 anos do Mickey que ela não gostou muito. O "Bafo" (vilão da estória, para quem não conhece) saía da tela e ela se assustou. Nessa hora pediu para ir embora, mas depois que o filme mesmo começou, ela adorou. Ficou comportada o filme todo e se esbaldou na pipoca!

Ansiosa esperando a abertura da sala de cinema

Praia do Campeche


A Praia do Campeche é a mais perto da nossa casa, cerca de 10 minutos de carro, só que nós não tínhamos o hábito de frequentá-la por causa do mar agitado e a água mais fria. Mas nessas férias pegamos dias de mar mais calmo, não tão gelada e muito limpa. A Malu adorou!




A casinha de bonecas

O Vovô Jairo passou quase um mês construindo a casinha de bonecas da Malu. Ficou linda demais, né? Os adesivos são da BUBU ARTs.

A casinha pronta
Corte de cabelo

Antes da volta às aulas, Dona Malu deu uma ajeitada no visual!




Volta para a escolinha

As aulas da Malu recomeçaram no dia 20/01. Ela não estava muito animada para retornar para a escola, mas depois que viu os amiguinhos e as professoras ficou numa boa, nem chorou. 

Comprei para ela uma mochila da Minnie e ela foi toda orgulhosa para a escola!
Pronta para a escola, quis tirar foto com a Minnie

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Estamos de volta!

Ai, que saudade que eu estava desse cantinho! Eu não tinha a intenção de deixá-lo abandonado durante todas as minhas férias, mas quem disse que eu arrumei tempo? Realmente, férias com filhos não são bem férias, né?

Mas eu curti bastante esses dias com a minha pequena. Passamos o Natal em família e o Ano Novo com os dindos na praia. Passeamos um pouquinho (menos do que eu gostaria porque o papai estava trabalhando), brincamos bastante, assistimos muitos desenhos animados, levamos a Malu no cinema pela primeira vez.

Claro que no final do dia eu estava quebrada, porque a energia dela é bem maior que a minha! E, apesar de estar de férias, eu não podia largar tudo, tive que manter a limpeza da casa, lavar e passar roupa, fazer comida, cuidar da pequena e ainda lidar com as crises de birra que parecem não ter fim nunca! Mas sobrevivi! kkkkk

A Malu está super bem, cada dia mais esperta, 100% desfraldada (não usa fralda nem para dormir) e sem a chupeta! Só a pele dela que não anda nada boa. Ela sofre demais com o calor, fica cheia de bolinhas pelo corpo!

Ela já voltou para a escola no dia 20/01 e eu estou voltando ao trabalho hoje. Aos pouquinhos vamos retomando a rotina e eu vou contando as novidades com mais detalhes.

É bom estar de volta!