quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Tudo vai passar

Eu estava procurando um assunto para escrever no blog, quando a amiga Clara postou este texto no grupo de mães do facebook:

"Tudo vai passar.
Eles vão crescer e dispensar nosso colo.
Vai chegar a fase em que os amigos serão mais importantes que os pais.
Que nossas demonstrações de afeto serão consideradas um grande mico.
Que em vez de torcemos para que eles durmam, torceremos pra que cheguem logo em casa.
Que não se interessarão pelos velhos brinquedos.
Que o alvoroço na hora do almoço, dará lugar a calmaria.
Que os programas em família serão menos atrativos que o churrasco com a turma.
Que dirão coisas tão maduras que nosso coração irá se apertar.
Que começaremos a rezar com muito mais freqüência.
Que morreremos de saudade de nossos bebês crescidos.

Por isso...

Viva o agora.
Releve as birras.
Conte até 10.
Faça cosquinhas.
Conte histórias.
Dê abraços de urso.
Deite ao lado deles na cama.
Abrace-os quando tiverem medo.
Beije os machucados.
Solte pipa.
Brinque de boneca.
Faça gols.
Comemorem.
Divirtam-se.
Acorde cedo aos domingos pra aproveitar mais o dia.
Rezem juntos.
Estimule-os a cultivar amizades.
Faça bolos.
Carregue-os no colo.
Faça com que saibam o quanto são amados.
Passem o máximo de tempo juntos...
Assim quando eles decidirem partir para seus próprios vôos, você ainda terá tudo isso guardado no coração!" 


(Cinthia Morallles - Blog Mãenual de Instruções)


Eu já conhecia, cheguei até a postá-lo no meu perfil do facebook a um tempo atrás, mas hoje ele tomou um sentido diferente para mim.

Isso porque andei remexendo nas fotos da Malu (finalmente, mandei revelar algumas fotos digitais) e me dei conta do quando ela cresceu! 

Bateu aquela saudade...
Saudade de quando ela era pequetitinha e eu a segurava com um só braço...
Saudade de quando eu era a sua fonte de alimento...
Saudade de quando ela dormia só no meu colo... 

Eu sei que vou sentir muito mais saudade... Afinal, ela vai continuar crescendo!

É por isso que eu não nego o colo que ela me pede cheia de manha, dou muitos abraços e beijos, digo o quanto a amo toda noite antes de dormir, levo para minha cama sempre que ela acorda no meio da noite e faço bolos, muitos bolos!!!


Ah, saudade da minha bebezinha (aqui com 2 meses)

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Final de semana com muita, muita chuva...

Nesse final de semana São Pedro mandou muita chuva para o nosso Estado, algumas cidades até enfrentaram alagamentos e deslizamentos. Mas, felizmente, em Florianópolis a situação foi tranquila, apenas evitamos sair de casa para não ter nenhum problema. 

E o que fazer em casa num final de semana com chuva? Comer, né?!

Mas a mamãe está de dieta e não pode abusar. Então, inventei uma receitinha de filé de peito de frango empanado e assado no forno que fez muito sucesso com o marido e a pequena!

Filé de peito de frango amarelinho
1 kg de filés de peito de frango
Tempero à gosto (eu usei alho, um pouquinho de pimenta-do-reino, sal e vinagre)
1 ovo batido
Farinha de milho amarela (biju)

Obs.: Eu usei a farinha de milho da marca Amafil. Na embalagem não consta a informação (obrigatória) quanto a utilização de milho transgênico. Encaminhei um e-mail para o SAC questionando sobre isso, mas ainda não obtive resposta. Espero que realmente eles não utilizem. 

Temperar os filés e deixar marinando por uns 15/20 minutos. Bater o ovo, colocar uma pitada de sal e salsinha picada (se gostar). Passar os filés no ovo batido e depois na farinha de milho. 
Forrar uma assadeira com papel alumínio, untar com óleo e arrumar os filés. Cobrir com papel alumínio. 
Levar ao forno por 30 minutos, retirar o papel alumínio de cima e deixar dourar por mais 30 minutos. 


Filé de frango amarelinho

Pratinho da Malu: arroz com brócolis, feijão, purê de batatas
e filé de frango. 

No sábado à tarde, não resisti e fiz um bolinho integral de maça para acompanhar um bom café! A receita já estava no blog na parte de receitas doces, mas vale a pena repetir! 

Bolo Integral de Maça
1 ovo
1 maça grande
3/4 xícara de açúcar (eu usei demerara)
1/2 xícara de óleo (eu usei de canola)
3/4 xícara de farinha de trigo integral
3/4 xícara de farinha de trigo branca
1 colher de café bem cheia de fermento
Uvas-passas
* Essas quantidades são para um bolinho pequeno. Para formas maiores, usar 3 ovos e dobrar o restante dos ingredientes. 

Lavar bem e descascar a maça. Bater no liquidificador, as cascas da maça, o ovo, o óleo e o açúcar. Se achar que ficou muito pastoso, pode acrescentar um pouquinho de água morna. Misturar com as farinhas, a maça picadinha, as uvas-passas e o fermento. 
Levar ao forno para assar em forma untada por 20/30 minutos em forno 200ºC. 
Se desejar pode acrescentar castanhas picadas. 



Bolo integral de maça
* Use sempre produtos da sua confiança e que você tenha informações sobre os alergênicos. Em caso de dúvidas, consulte o SAC.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Não ao excesso de alimentos industrializados!

Antes de engravidar da Malu, eu trabalhava o dia inteiro e, sem tempo para cozinhar, recorria com muita frequência aos alimentos industrializados e/ou congelados, como pizzas, lasanhas, molhos prontos, macarrão instantâneo, etc. 

Quando descobri que estava grávida, passei a me preocupar mais a alimentação e inclui no cardápio mais frutas, legumes, verduras, grãos integrais, etc. Depois que a Malu nasceu, mantive essa preocupação, já que estava amamentando. 

Aos 6 meses, a pequena começou a se alimentar de papinhas e, com 1 aninho estava comendo a mesma comida da mamãe e do papai. Foi aí que aconteceram as maiores mudanças na minha cozinha (e por que não dizer na minha cabeça!). Os industrializados perderam cada vez mais espaço, eu abandonei os temperos prontos e passei a fazer preparações mais saudáveis para a família toda.
* Eu falei sobre a alimentação da Malu neste post aqui

O diagnóstico da alergia alimentar da Malu trouxe a necessidade de ler os rótulos dos produtos e qual foi a minha surpresa quando descobri o que tem dentro dos produtos industrializados e que eu nunca tinha me dado conta: grandes quantidades de sódio, gorduras trans, conservantes, aromatizantes, corantes e outros aditivos com nomes tão complicados que ninguém sabe realmente o que é!

Ontem, por exemplo, eu vi no supermercado a nova linha de alimentos congelados da Sadia chamada Mini-chefs. Isso mesmo, comida congelada para os pequenos!

Imagem da internet
Que ótima ideia para aqueles dias em que estamos com pressa! Não é? Mas se você ler as informações do rótulo, vai descobrir que o produto pode até não ter conservantes, mas tem estabilizantes polifosfato de sódio e pirofosfato de sódio (Hã?) e 640 mg de sódio! Isso na porção individual de risotinho feito com arroz, peito de frango, cenoura e milho.

A Organização Mundial de Saúde recomenda uma ingestão de menos de 2 gramas de sódio por dia para crianças entre 2 e 15 anos, ou seja, apenas numa refeição dessas, a criança consumiria 32% do recomendado de sódio. Lembrando que outros alimentos com sódio serão consumidos ao longo do dia. 

Sinceramente, eu prefiro fazer um risotinho caseiro para a minha filha, e, usando a panela de pressão, fica pronto em 10 minutos! Saí mais barato e eu posso até congelar!

Não estou dizendo que não consumimos nada de industrializados, tem horas que é inevitável e, com a rotina corrida que temos, não dá para produzir tudo em casa. Também não estou criticando quem pense que dar esse tipo de alimento de vez em quando para o seu filho não tem problema nenhum, estou só dizendo que eu prefiro, sempre que possível, a versão "caseira" dos alimentos.

E não é tão difícil assim, basta apenas um pouco de boa vontade e informação!
  • O macarrão instantâneo, por exemplo, pode ser facilmente substituído pelo macarrão comum e vejam só a diferença na quantidade de gorduras e sódio. O cabelinho de anjo e o espaguetinho cozinham em 3 minutos também! 



  • A gelatina industrializada pode ser substituída por gelatina sem sabor e suco natural. Eu faço com suco de uva integral e a Malu adora!
  • O salgadinho industrializado pode ser trocado pela pipoca (de vez em quando, com pouca gordura ou sem e pouco sal!).
  • Os sucos naturais são as melhores opções, ao invés dos refrigerantes e sucos industrializados. 
  • Preparar hamburgueres, "nuggets" e kibes em casa é mais fácil do que parece e você garante a qualidade e procedência dos ingredientes. (Ah! Assados no forno ficam bem mais saudáveis).
E por aí vai...


Para as mamães que quiserem receitas gostosas e saudáveis para os pequenos, eu indico o blog "As delícias do Dudu".




quinta-feira, 19 de setembro de 2013

10 mitos e verdades sobre a APLV

Encontrei no site Sem Lactose um artigo muito interessante que fala dos 10 mitos e verdades sobre a Intolerância à Lactose, inspirada nele e pensando no quanto as pessoas tem dúvidas sobre a alergia à proteína do leite (e confundem com a intolerância à lactose), resolvi escrever este post. 

10 MITOS E VERDADES SOBRE A APLV


1. Alergia à proteína do leite e intolerância à lactose são a mesma coisa.
MITO. A APLV é uma reação do sistema imunológico às proteínas presentes no leite de vaca, enquanto que a intolerância à lactose é uma deficiência na produção da lactase, que é a enzima que faz a digestão da lactose (açúcar do leite). Gente, não existe "alergia à lactose"!

2. O leite de cabra ou ovelha pode substituir o leite de vaca para quem tem APLV. 
MITO. O leite de cabra ou de outros mamíferos (ovelha, búfala) também podem causar reações alérgicas e não são indicados para alérgicos.

3. Leite de coco não contém proteína do leite.
VERDADE. Os chamados leites vegetais, como o leite de coco, de soja, arroz e outros não possuem a proteína do leite de vaca e podem ser consumidos por quem tem APLV.

4. O leite é o principal alimento causador de alergias.
VERDADE. A alergia à proteína do leite é o tipo mais comum de alergia alimentar. Os oito alimentos mais alergênicos são: leite de vaca, soja, ovo, trigo, peixe, frutos do mar, amendoim e castanhas.

5. Produtos com baixo teor de lactose ou sem lactose podem ser consumidos por quem tem APLV.
MITO. Os produtos com baixo teor de lactose ou sem lactose são adequados para quem tem intolerância à lactose e não para alérgicos, pois possuem as proteínas do leite. 

6. Existem diversas substâncias que podem indicar a presença de proteínas do leite nos alimentos. 
VERDADE. Aroma de queijo, caseína, caseinato, lactoalbumina, lactoglobulina, lactose, lactulose, proteínas do soro, soro de leite, sabor artificial de manteiga, caramelo, manteiga, etc. são algumas das substâncias que podem indicar a presença de proteínas do leite. Mas, ao contrário do que sugere o nome, o ácido lático, ingrediente muito comum em alimentos industrializados, é 100% de origem vegetal. 

7. Máquinas e utensílios usados para produção de alimentos com leite podem conter traços de leite. 
VERDADE. Os traços de leite são uma “contaminação” do produto que passou por uma máquina onde foram fabricados produtos com leite ou derivados. Assim, eles acabam adquirindo quantidades mínimas desses ingredientes durante a fabricação que podem causar reação alérgica. 

8. Quem não pode consumir leite precisa de suplementação de cálcio. 
MITO. É comum acreditar que o cálcio esteja presente apenas no leite e derivados, mas isso não é verdade. Há diversos alimentos de origem vegetal que são ótimas fontes de cálcio como o brócolis, o espinafre, o gergelim, o amaranto e até mesmo o suco de laranja. Produtos como leite e iogurte de soja possuem adição de cálcio e também são opções para quem não pode consumir leite de vaca.

9. A alergia à proteína do leite é mais comum em crianças.
VERDADE. A alergia à proteína do leite é muito mais comum em crianças, especialmente em bebês. Adultos raramente têm alergia à proteína do leite de vaca. 

10. A alergia à proteína do leite tem cura.
VERDADE. Metade das crianças com alergia à proteína do leite de vaca melhora por volta de 1 ano de idade. A maioria (90%) está curada ao completar 3 anos. São poucas as pessoas que continuam alérgicas por toda a vida.

Fonte das informações:
www.alergiaaoleitedevaca.com.br
www.semlactose.com


quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Passeio no Mirante da Casa de Retiro e Morro das Pedras

Esse é mais um post atrasadinho... e sempre por causa das fotos que estavam na máquina digital! kkkkk

No domingo (08/09), fizemos um passeio num dos mais belos cartões postais de Florianópolis, o Mirante da Casa de Retiro Vila de Fátima no Morro das Pedras.

A nossa intenção era avistar alguma baleia franca, espécie que costuma passar pela Ilha nessa época do ano, mas infelizmente, nesse dia não conseguimos avistar nenhuma. 


De qualquer maneira, o passeio rendeu belas fotos, não é? 

A Casa de Retiro
Vista da Praia da Armação
Vista do Morro das Pedras
Malu levou seu amiguinho para passear
Carinho no papai
No mirante da Praia do Morro das Pedras
Cadê a baleia, papai?

  Mais informações sobre a Casa de Retiros Vila Fátima em http://www.casaderetiros.com.br/.


terça-feira, 17 de setembro de 2013

Receitas - Bolo de Leite de Coco e Pudim Suíco

Este post está bem atrasadinho, foram receitas que eu fiz a duas semanas atrás, ambas com leite de coco.

A primeira é de um bolo simples, mas muito gostoso. A Lara, filha da minha amiga Mirela, adorou!

Bolo de Leite de Coco com cobertura de chocolate.

3 ovos
1 xícara de açúcar (usei demerara)
1/2 xícara de óleo (usei de girassol)
1 vidro (200 ml) de leite de coco
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento

Bater os ovos, o açúcar, o óleo e o leite de coco no liquidificador. Depois misturar com a farinha de trigo e o fermento. Assar em forma untada a 200°C por 30 minutos ou até que, espetando uma faca e saia limpa.

Cobertura: É a mesma do Bolo Nega Maluca.

2 colheres de sopa de chocolate em pó sem leite
2 a 3 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa bem cheia de margarina sem leite
2 a 3 colheres de sopa de água

Misturar todos os ingredientes e levar ao fogo médio, mexendo de vez em quando, até engrossar. Despejar sobre o bolo.

Bolo de leite de coco com cobertura de chocolate



A segunda receita é um pudim, sem leite de vaca nem leite condensado, que encontrei no Blog Sabores da Cozinha sem Glúten (aqui), mas fiz algumas pequenas alterações.

Pudim Suíço

4 ovos
1 garrafa de leite de coco (200 ml)
1 garrafa de água ( a mesma medida do leite de coco)
3\4 de xícara de amido de milho
2 xícaras de açúcar (usei apenas 1 xícara, pois achei que ficaria muito doce, mas poderia ter colocado 1 e 1/2 pelo menos)
raspas de limão (só coloque se você gostar do sabor do limão, pois o sabor fica acentuado)
1 xícara de coco em flocos grandes (eu usei coco ralado normal, pois não tinha em flocos em casa)

Calda:
1 xícara de açúcar
5 colheres de água

Bater no liquidificador todos os ingredientes, menos o coco ralado. Depois colocar o coco e misturar. Caramelar uma forma de pudim e despejar a massa. Levar ao banho-maria em forno de 200 graus por 45 minutos.

Coloque água fervento na forma de baixo do banho-maria e se precisar colocar mais, coloque sempre fervendo. Desenforme o pudim frio. Para facilitar, coloque a forma dois minutinhos na chama do fogão para o caramelo soltar mais fácil.

Comentários:  
  • Eu gostei muito da receita, mas achei que ficou um pouquinho seco, sem aquela consistência de pudim, sabem? Será que é possível conseguir isso sem leite condensado? 
  • O que eu acho que pode ser melhorado? Das próxima vez, vou colocar um pouco mais de açúcar, não vou colocar as raspas de limão e vou acrescentar umas gotas de essência de baunilha. Também vou tentar sem o coco ralado, porque ele subiu e acabou formando uma camada de coco que não gostei muito.. Talvez colocando menos coco, fique melhor. 



Pudim pronto

Desenformado (esqueci de fotografar antes de cortar!)
 
* Use sempre produtos da sua confiança e que você tenha informações sobre os alergênicos. Em caso de dúvidas, consulte o SAC.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Não tem leite, mamãe?

Essa é a pergunta que a Malu tem feito antes de comer alguns alimentos, indicando que, mesmo sem entender o que é a sua alergia, ela já sabe que não pode comer alimentos com leite.

Quando ouvi pela primeira vez, eu me senti muito triste,  afinal tudo o que eu queria era que a minha filha não tivesse essa alergia e pudesse comer de tudo. 

Mas depois entendi o lado positivo desde comportamento que é ela estar aprendendo a conviver com a sua alergia e a se cuidar também. 

Como estou sempre em busca de produtos sem leite e adaptando as receitas, tenho receio que ela confunda os alimentos que não tem leite com os que levam leite na composição, por isso sempre reforço que ela pode comer aquele biscoito/chocolate/bolo porque não tem leite, foi feito especialmente para ela e acho que foi daí que ela aprendeu.

Ontem, por exemplo, ela me pediu chocolate e eu lembrei que tinha comprado um que ela ainda não tinha experimentado, o Choco Soy Break da Olvebra. 

Choco Soy Break da Olvebra

Eu abri a embalagem e entreguei para ela, que pegou, olhou e me perguntou: "- não tem leite, né, mamãe?". Só depois que eu falei que não, ela comeu e adorou. Aliás, eu também provei um pedaço e achei muito gostoso, não tem gosto de soja, parece muito com o BIS da Lacta.

Aproveitei a oportunidade para explicar que ela pode comer tudo o que eu e o papai damos para ela, mas se nós não estivermos, ela precisa perguntar se tem leite e se tiver, ela não pode comer. Ela me olhou e perguntou: " - E a tia Dessa, mamãe?" Tia Dessa é a sua professora. Eu nem tinha lembrado que as tias da escola também davam coisas para ela comer. Então, eu expliquei que sim, ela podia comer as coisas que as tias Dessa, Maria, Solange e outras da escolinha davam para ela. 

Como é esperta essa minha Malu!

* Este post não é publieditorial.
* Para informações sobre alergênicos, entre em contato com o SAC.


quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Pausa para reflexão

Quando eu criei esse blog, em abril desse ano, a minha intenção era apenas compartilhar as experiências que a maternidade me proporciona, registrar o desenvolvimento da minha filha, falar um pouco sobre a alergia dela e colocar as minhas receitinhas... 

Hoje, depois de 5 meses, parei para pensar um pouco sobre o futuro do blog e cheguei à conclusão que NÃO MUDOU NADA!

Eu continuo não tendo nenhuma pretensão de ganhar dinheiro com o blog...
Não escrevo para ensinar ninguém a ser uma boa mãe (quem me dera saber a receita!)...
Nem para defender essa ou aquela teoria... 
Também não é a minha intenção criticar a forma como outras mães criam seus filhos ou causar qualquer polêmica. Cada mãe sabe o que é melhor para o seu filho e para si mesma!

O Lu, mãe da Malu é apenas um cantinho onde declaro o meu amor à maternidade e à minha filha, exponho as minhas ideias, faço meus desabafos e compartilho as minhas experiências. 

Quem quiser continuar me acompanhando, será muito bem-vindo! Melhor ainda se quiserem compartilhar as suas próprias experiências comigo! 

Mas já vou avisando... 

Por aqui não devem acontecer sorteios patrocinados...
Não irei fazer propaganda de empresas que não tenham nada a ver com o meu universo...
Nem resenhas de produtos que eu nunca usei...

Isso não é nenhuma crítica a quem utiliza o blog de forma mais comercial, mas eu não quero isso para o meu blog, pelo menos por enquanto... 

Quero continuar escrevendo o que me vem na cabeça e no coração! 

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Desfralde à vista!

Nos próximos meses, mas ainda sem data definida, devemos iniciar o desfralde da Malu e, por isso, estou em buscar de informações e me preparando "psicologicamente" para esse processo que, pela experiência das amigas que eu acompanhado, já sei que não é fácil!

Antes iniciar, é importante se ter certeza de que a criança está pronta para o desfralde, pois ao contrário do que muita gente pensa, não é a idade que determina a hora de tirar a fralda, e sim alguns sinais que ela apresenta. Iniciar o processo antes da hora pode ser estressante para os pais e para a criança.

Então, vamos ao check-list proposto pelo site do Baby Center:

Sinais físicos
Anda com firmeza, e até consegue correr. SIM
Faz bastante xixi de cada vez (e não de pouquinho em pouquinho). SIM
Faz um cocô razoavelmente sólido, em horários mais ou menos previsíveis. SIM
Fica "seco" por pelo menos três ou quatro horas, ou seja, os músculos da bexiga conseguem segurar a urina. SIM

Sinais de comportamento
Consegue ficar sentado na mesma posição por entre dois e cinco minutos. SIM
Consegue abaixar e levantar as calças. Não consegue sem ajuda.
Fica incomodado quando a fralda está suja ou molhada. Nem sempre.
Demonstra interesse nos hábitos de higiene (gosta de observar os outros irem ao banheiro ou quer usar cueca ou calcinha). SIM
Não demonstra resistência à ideia de usar o penico ou a privada. SIM
Está numa fase em que gosta de colaborar, e não numa fase "do contra". Mais ou menos.

Sinais cognitivos
Consegue seguir instruções simples, como "vá pegar aquele brinquedo". SIM
Entende que cada coisa tem o seu lugar. SIM
Tem palavras para xixi e cocô. SIM
Entende os sinais físicos de que está com vontade de ir ao banheiro, e consegue pedir para ir (ou até segurar a vontade um pouco). Entende os sinais de vontade de fazer côco, fica agachada, mas não pede. Não demonstra quando quer fazer xixi.  

Como vocês podem ver, nem todos os itens estão com resposta positiva, o que não impede de se começar o desfralde. Mas como ainda não conversei com a escola sobre o assunto e continua fazendo frio por aqui, ainda teremos um tempinho para a Malu evoluir nesses quesitos.

Eu também não tenho pressa, penso que o processo tem que acontecer no tempo da Malu, o equipamento necessário para o desfralde (troninho) já foi comprado e, por enquanto, a Malu está só se familiarizando com ele. Para ela é uma brincadeira, ela pede para fazer xixi, tenta tirar a roupa e a fralda, mas senta, faz som de "xiiiii" com a boca e sai sem fazer nada. Cinco minutos depois quer fazer tudo de novo! rsrsrsr

Esse foi o modelo de troninho que eu escolhi para a Malu:

Troninho Musical Love

Escolhi esse modelo porque ele é 3 em 1, serve como troninho, redutor para vaso sanitário e a base serve de degrau de acesso ao vaso sanitário ou para criança escovar os dentes na pia.

Por enquanto é isso, a qualquer momento eu volto com novidades!

Um guia completo sobre a Retirada da Fralda você encontra aqui.

Atualizando: A Malu fez seu primeiro cocô "vasinho" (como ela chama o troninho) no dia 08/09 (domingo). Mas foi meio sem querer... Como ela sempre se agacha para fazer o número 2, quando eu a vi agachada na sala, perguntei se ela queria fazer no troninho e ela disse que sim. Coloquei ela lá e ela fez! Fiz muita festa, dei os parabéns, deixei ela apertar o botão da musiquinha! Quase tirei foto! Brincadeirinha! kkkkk Depois colocamos o cocô no vaso sanitário e demos "tchau"! Mas foi a única vez, depois disso todos foram na fralda... Ainda temos um longo caminho para percorrer.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Neuras e frustrações de mãe de alérgico!

Uma das minhas grandes preocupações, como mãe de uma criança alérgica, é quanto aos alimentos oferecidos para a Malu fora de casa. Eu "rezo" para que não ofereçam comida para ela! 

Isso porque uma simples gentileza acaba virando quase sempre uma situação constrangedora... Eu e o papai temos sempre que negar aquela bala que a caixa do supermercado oferece, o pirulito que o dono da casa de carnes quer dar, o chocolate no restaurante... Não temos como saber do que são feitos e a chance de conterem leite é muito grande! E acabamos com fama de chatos, porque nem sempre explicamos que ela não pode comer porque tem alergia à proteína do leite e blá, blá, blá.... recusamos, agradecemos e pronto! 

Pior é quando ela vê outra criança comendo alguma coisa e a mãe da criança, educadamente, pede ao filho que divida com ela.  Nós temos que intervir, recusar e oferecer o que ela pode comer. Eu sempre carrego o seu kit com bolachinhas e, nas saídas mais longas, sucos, iogurte, bolo, etc. Mas nem sempre ela quer comer as coisas dela...Sabem como é, "o dos outros é sempre melhor!"

No último domingo, fomos na casa de uns amigos e eu levei iogurte, cookies e bolinhos de cenoura que a Malu pode comer. Até aí tudo bem, a Malu e as amiguinhas comeram bolo de cenoura na hora do lanche e ela fica toda feliz quando come a mesma coisa que as outras crianças. Quando uma das crianças pediu o seu "mamá", a Malu tomou o seu iogurte... Mas depois outra criança pediu café com leite para sua mamãe e a Dona Malu inventou que também queria... Isso que ela nunca tomou café com leite, sempre detestou o seu leite de soja, mas só porque viu a amiguinha tomando, também queria... Não adiantou eu explicar que ela não podia tomar, ela chorou, chorou e veio para o meu colo toda sentida e para mim só restou a frustração de não conseguir atender ao pedido da minha filha...

Eu sei que, por mais que eu me esforce, não vou conseguir satisfazer todos os seus pedidos e nem devo! O "não" faz parte da vida e um dia ela vai entender... Mas mesmo assim, o meu coração de mãe sente...

O jeito é torcer para que um dia ela fique livre dessa alergia ou, se isso não acontecer, que aprenda a conviver com as suas restrições.