quinta-feira, 29 de agosto de 2013

"Maluterapia"

Ando um pouco triste... Problemas familiares, preocupação com os resultados de alguns exames que eu fiz e não deram legais, a perda de um amigo muito querido...

Se tudo isso tivesse acontecido a uns 3 anos atrás, certamente, eu estaria recolhida no meu canto, deitada no sofá ou na cama, sem vontade de fazer nada e nem ver ninguém... 

Mas eu tenho a Malu! 

Tenho que ser forte para cuidar dela: trocar fralda, dar banho, vestir, dar comida, colocá-la para dormir, levantar diversas vezes para cobri-la durante a noite, dar remédio para a tosse, levar no médico...

Tenho que ter ânimo para brincar de desenhar, para assistir seus desenhos preferidos ao lado dela, para brincar de roda e dançar!

Essa é a minha terapia.

E eu ainda tenho a sorte de ter a filha mais carinhosa do mundo que com seus 2 anos e 3 meses consegue perceber que não estou bem e me pergunta " - tá, tiste, mamãe?" e ainda me consola - "não, fica tiste" e me abraça!

Quem consegue ficar triste diante de um sorriso como esse?





segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Final de semana com frio e chuva / Receita: Torta Salgada Integral

São Pedro não anda muito bem humorado por aqui... O final de semana foi de chuva e frio, então nada de passeios ao ar livre!

No sábado pela manhã, tivemos sessão de fotos no estúdio da Catavento Fotografia. Agora não fazemos mais fotos todos os meses, mas, quando bate aquela saudade, fazemos uma sessão!

Nessa fase em que a Malu está, que não quer pára um minuto, só uma profissional como a Raquel para conseguir tirar boas fotos! Em breve eu mostro o resultado aqui.

À tarde o papai precisou ter muita disposição para brincar com ela dentro de casa já que o tempo não permitia nem sair na garagem!

Domingo ficamos em casa e à noite recebemos a visita dos dindos e da Luísa. Para recebê-los a mamãe preparou um lanchinho bem gostoso totalmente sem leite de vaca com bolinhos de banana e cacau, bolo de milho com côco e torta integral de atum com legumes. 



As receitas dos bolinhos e do bolo estão na página de Receitas Doces. Para os bolinhos de banana utilizei água e para o Bolo de Milho usei leite de soja dissolvido conforme as instruções da embalagem.

Bolinhos de banana com cacau e Bolo de Milho com Côco

Aqui a receita da Torta Salgada Integral:

Ingredientes:
2 ovos
½ xícara de óleo (usei de Canola)
180 ml de água morna (pode substituir por outro leite vegetal e não usar leite de soja em pó)
1 colher de sopa de leite de soja em pó (*opcional, já fiz torta só com água)
1 xícara de farinha de trigo integral
1 xícara de farinha de trigo branca
1 colher (sopa) de fermento
Sal a gosto

Recheio:
Legumes picados refogados no azeite de oliva com cebola e alho (usei brócolis e cenoura).
1 lata de atum ralado (sugiro usar o atum em água, eu usei em óleo e achei muito gorduroso).
* Pode substituir o atum por frango ou carne moída.

Bater os ovos, o óleo, a água, o leite de soja em pó e o sal no liquidificador, misturar numa tigela com as farinhas e o fermento. Despejar metade da massa em uma forma untada, colocar o recheio e cobrir com o restante. Levar para assar em forno médio até que colocando um garfo este saia seco.


Torta Salgada Integral

* Use sempre produtos da sua confiança e que você tenha informações sobre os alergênicos. Em caso de dúvidas, consulte o SAC.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

A alimentação da Malu

Algumas pessoas me perguntam como é a alimentação da Malu, já que ela não pode tomar leite de vaca, nem comer nenhum derivado e eu respondo que ela "come de tudo", desde que não tenha leite! 

A alimentação da Malu é a mais saudável possível, mas sem radicalismo. Eu evito ao máximo os produtos industrializados, até porque a maioria deles contém leite ou traços, também não costumo dar frituras ou alimentos muito condimentados. Mas fora de casa ela come uma batatinha-frita de vez em quando!

Para a alegria da mamãe, desde as primeiras papinhas a pequena se revelou "boa de garfo" ou melhor, de colher! kkkk Ela nunca rejeitou nenhum alimento, exceto o leite de soja que ela não toma de jeito nenhum. 

Recentemente, passou por uma fase em que não queria comer legumes e ficava separando-os no prato e até cuspindo, mas já voltou a comer de tudo!

Quando o pediatra liberou a comida da família para ela (depois de 1 ano de idade), eu mudei um pouco o cardápio. Passei a dar preferência para as preparações mais saudáveis, inclui mais legumes e verduras e abandonei todos os temperos industrializados (alguns contém leite na sua composição, além do alto teor de sódio). Uso só temperos caseiros, como cebola, alho, pimentão, salsinha, louro, orégano e garanto que a comida fica muito gostosa!

Então, o que a Malu come?

  • No café da manhã e lanches: frutas, pães, bolos e biscoitos sem leite, iogurte de soja, sucos, etc. 
  • No almoço e jantar: arroz, feijão ou outro grão (ela ama arroz e feijão), macarrão, legumes variados, carne, frango, peixe, ovos, sopas, etc.
  • Como sobremesa: frutas ou gelatina (raramente) ou picolé de frutas (fora de casa). 

E o que ela não come:
  • Chocolate (exceto de soja ou sem leite, raramente), achocolatados, leite fermentado, danoninho, farinha láctea, macarrão instantâneo, biscoitos recheados, salgadinhos, embutidos, balas, etc. Também nunca tomou refrigerante. (Cá entre nós, esses alimentos não fazem falta nenhuma, né? E é por isso que eu considero que a alergia dela tem um lado positivo).

Na minha opinião, as crianças precisam de uma alimentação saudável, principalmente nos primeiros anos, pois é a fase em que são criados os hábitos alimentares. 


Cozinhar e montar pratinhos como esses para a minha princesa virou um grande prazer para mim:



O que tem aí nesses pratinhos?
  1. Arroz colorido (com cenoura, brócolis e milho verde), feijão, carne moída refogada e batata assada no forno com alecrim e azeite de oliva.
  2. Arroz, feijão, iscas de peito de frango e seleta de legumes caseira (batata, cenoura e vagem).
  3. Arroz, lentilha, farofa de ovo e carne moída com legumes.
  4. Risoto de frango, lentilha, purê de batata-salsa (sem leite) e alface.
  5. Risoto de frango, feijão, batata e cenoura souteé e brócolis.
  6. Arroz, feijão carioca, sobre-coxa de frango assado, batata assada e salada de cenoura e vagem.
  7. Arroz, feijão vermelho, hambúrguer caseiro de frango com cenoura ralada e salada de alface com tomate.
  8. Macarronada com carne moída, legumes e ovo cozido.
  9. Macarronada com molho de atum e legumes.

O que deixa a mamãe mais orgulhosa é ver a pequena raspando o pratinho e comendo coisas saudáveis! 

Detalhe: agora ela só come sozinha!

Café da manhã: Banana com aveia e suco de laranja.

Comendo a sua fruta preferida: Morango!

Toda independente!

No restaurante: arroz, peixe e pirão.



terça-feira, 20 de agosto de 2013

Filme "O Renascimento do Parto"

Está em cartaz no Cinespaço Beiramar (Rua Bocaiúva, 2468, Florianópolis - SC) com sessões às 16:00 e 19:50 h o documentário "O Renascimento do Parto", cuja sinopse diz: "A realidade médica e obstétrica mundial encontra-se em grave condição não por aspectos de infra-estrutura, mas devido a questões éticas e de coerência. De fato, o número de cesarianas e partos com intervenções traumáticas é alto demais para o nível recomendado. Alguns especialistas relatam suas experiências e questionam a opção médica dominante na hora do parto, além de outros elementos científicos que envolvem o futuro do homem".

Veja o trailer oficial aqui.

Eu não assisti o filme, gostaria muito, mas é difícil devido à "dificuldades de logística" (não tenho como ir sozinha ao cinema! kkkkk), mas tenho acompanhado a discussão sobre ele em grupos de mães e blogs. O assunto é polêmico, mas mesmo assim, eu quero expôr a minha experiência. 

Concordo que o número de cesarianas realizadas no Brasil é muito alto em comparação com outros países mais desenvolvidos e que a maioria acontece sem necessidade e sem ser a vontade da mulher, mas esse não foi o meu caso. 

O parto normal nunca foi uma opção para mim, eu penso que uma mulher não precisa ter seus filhos do mesmo jeito que as suas avós com todos os avanços da medicina, e, logo nos primeiros meses da gestação da Malu, conversei com a minha médica e expus a minha vontade de fazer uma cesariana. Ela apenas respeitou a minha decisão, ou seja, eu não fui induzida pelo médico!

A minha cesariana foi agendada, mas não foi por conveniência para a minha médica, foi porque se eu fizesse no dia em que ela estava de plantão, não precisaria pagar mais nada, o plano de saúde cobriria toda a despesa e saber que a minha filha nasceria pelas mãos da minha médica me deixava mais segura. 

Mas antes de agendar a cirurgia, ela pediu um último ultrassom no qual verificou que a Maria Luísa estava pronta para nascer, pois estava começando a perder o vérnix (material que recobre a pele dos recém-nascidos) e tinha um ótimo peso. 

Outra coisa que me deixava mais segura era saber que a clínica onde a Malu nasceria contava com uma boa UTI neo-natal e um corpo clínico capacitado. Eu jamais me sentiria segura em ter a minha filha num hospital com menos estrutura, casa de parto ou em casa. 

Atualmente, se fala muito em parto humanizado, mas é importante que se esclareça que cesariana não é sinônimo de parto desumanizado e nem todo parto natural é humanizado. Conheço mulheres que ficaram traumatizadas com o parto normal pelo sofrimento que passaram e pela forma como foram tratadas. Eu fui muito bem tratada durante todo o parto e depois que a Malu nasceu. 

Não estou aqui defendendo a cesariana,  o que eu defendo é o direito da mulher de escolher a forma como quer que o seu filho venha ao mundo!  Para mim,  não é o tipo de parto ou o quanto de dor uma mulher passa que vai determinar se ela é ou não uma boa mãe.

Eu não me sinto "menos mãe" por ter feito uma cesariana e nem tentado o parto normal, não tenho vergonha da minha escolha e também não me sinto fracassada por isso, eu me sinto feliz por ter tido a minha opinião respeitada no momento mais importante da minha vida. O meu parto foi muito tranquilo, a minha filha nasceu linda e cheia de saúde. Eu vivi a emoção da chegada da Maria Luísa como qualquer mãe, me emocionei ao ouvir o seu choro e ver o seu rostinho pela primeira vez. 

Mesmo hoje que eu tenho muito mais informação do que antes e assisti a vários vídeos sobre o parto natural, se tivesse outro filho, provavelmente, faria a mesma escolha.

A foto que eu não canso de postar





  


quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Circo da Mônica

No último sábado fizemos um programinha diferente, fomos assistir ao espetáculo "Turma da Mônica no Mundo do Circo" no Continente Park Shopping.

Eu fiquei muito emocionada com a apresentação, fazia anos que não ia num circo e pode levar a Malu para assistir pela primeira vez foi maravilhoso!

Ela se comportou tão bem, comeu pipoca e bateu palmas acompanhando as músicas. Cada vez que um dos personagens da turma aparecia no palco ela ficava toda empolgada.

O mestre de cerimônias foi o simpático elefante Jotalhão e a Mônica, o Cebolinha, a Magali e o Cascão fazem as suas apresentações junto com artistas circenses de verdade e muito talentosos.

O espetáculo tem malabaristas, equilibristas, contorcionistas, palhaço, mágico, enfim, todas as grandes atrações do circo em uma apresentação moderna com muita música e luz. 

Se o circo passar pela sua cidade, não deixe de levar os pequenos. Vale muito a pena. 


Mais informações no site do Circo dos Sonhos


Agora vamos às fotos:

Esperando o papai pegar os ingressos

Comportada esperando o início do espetáculo

O mestre de cerimônias Jotalhão

Abertura do espetáculo



Comendo uma pipoquinha

A família reunida

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Mais um Kit Festa da Malu

Eu já mencionei neste post aqui o quanto considero importante que a minha filha não deixe de participar de eventos sociais por causa da sua restrição alimentar, lembram?

Na escola nova da Malu tem festa quase toda semana, às vezes tem duas festas na mesma semana! Isso porque as festinhas de aniversário são para todos os alunos da escola e não só para a turminha do aniversariante. O que não deixa de ser uma forma de inclusão das crianças, pois assim os pequenos não ficam vendo os outros comemorarem! Mas, para uma mãe de alérgico, não é fácil!

Ontem teve mais uma festa e na segunda-feira cheguei em casa depois do trabalho determinada a ir para a cozinha preparar o Kit Festa da pequena... Mas não sei se era cansaço ou se eu não estava muito inspirada, mas nada dava certo... Eu não lembrava que tinha acabado o trigo para kibe (ok, eu ia fazer bolinhos de carne, então), depois tentei fazer a massa de esfirra que sempre faço e ela ficou mole demais e acabou a farinha de trigo também... A vontade que eu tinha era de chorar! 

Mas respirei fundo, fui ao supermercado comprar os ingredientes que tinham acabado e retornei para a cozinha. Como já estava muito tarde, optei por comprar uma massa de pastel pronta e usei o mesmo recheio de carne moída que usaria nas esfirras.

O resultado foi esse: 

Bolinhos de cenoura com cobertura de chocolate e brigadeiros de leite de côco
Pastel de carne e mini-kibe de forno

Os Kit´s são identificados com as etiquetas para material escolar impermeáveis
feitas pela BUBU Arts. 

 E assim a Malu pode participar de mais uma festinha!


terça-feira, 13 de agosto de 2013

Receitas - Mini-cuca de Banana e Bolinho de arroz

Compartilho aqui mais duas receitinhas testadas e aprovadas... Ambas foram feitas com leite de aveia da Jasmine, mas podem ser feitas com qualquer outro leite vegetal ou até mesmo com água.

Mini-cuca de Banana

Ingredientes:
1 ovo
1/2 xícara de açúcar (eu usei demerara)
1/4 xícara de óleo (eu usei de canola)
1/2 xícara de leite vegetal ou água
1 xícara de farinha de trigo
1 colher de café cheia de fermento em pó
Bananas cortadas em fatias finas

Para a farofa:
1/2 xícara de açúcar
1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher de sopa rasa de margarina sem leite
Canela em pó a gosto

Modo de preparo:
Bater no liquidificador o ovo, o óleo, o açúcar e o leite.
Misturar com a farinha de trigo e o fermento.
Despejar a massa em uma forma para bolinhos untada com óleo.
Colocar os pedacinhos de banana e cobrir com um pouco de farofa (para fazer a farofa, basta misturar os ingredientes com as pontas dos dedos).
Levar ao forno pré-aquecido à 200 graus por uns 20/30 minutos ou até que os bolinhos estejam dourados e espetando uma faca esta saia limpa.





Bolinho de arroz (assado)

Ingredientes:
Sobras de arroz cozido (cerca de 2 ou 3 xícaras)
Sobras de frango ou carne ou legumes (eu usei frango desfiado e ralei uma cenoura pequena)
1 ovo
1/2 xícara de leite vegetal ou água morna
Farinha de trigo até formar uma massa (eu usei cerca de 1/2 xícara)
1 colher de café cheia de fermento em pó
Sal (verificar a necessidades de sal caso as sobras já contenham)
Salsinha e/ou cebolinha a gosto.

Modo de preparo:
Misturar todos os ingredientes e despejar em uma forma para bolinhos untada com óleo.
Levar ao forno pré-aquecido à 200 graus por uns 20/30 minutos ou até que os bolinhos estejam dourados e espetando uma faca esta saia limpa.

* Esta receita é muito versátil, pode ser feita com as sobras que você tiver em casa ou atum em lata e ainda acrescentar outros legumes como brócolis, tomate, abobrinha, ervilha ou milho.

Fiz esses bolinhos no último domingo, a Maria Luísa gostou tanto que comeu 4 bolinhos no jantar e ainda pediu mais depois!

A receita rendeu 12 bolinhos



* Use sempre produtos da sua confiança e que você tenha informações sobre os alergênicos. Em caso de dúvidas, consulte o SAC.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Dia dos Pais

Ontem foi o Dia dos Pais e eu gostaria de aproveitar esta data para homenagear os dois homens da minha vida: o meu pai e o pai da Malu. 

O meu pai, hoje está morando longe, mas sempre esteve muito presente na minha vida. Ele é um homem muito caseiro e ligado à família, trabalhou a vida inteira para sustentar a mim e aos meus irmãos e nos dar uma boa educação. Apesar de ser um pai à moda antiga, do tempo em que pais não trocavam fraldas nem davam banho nos filhos, sempre foi muito dedicado aos filhos e ainda hoje não deixa de ajudar os filhos que precisam. 

Vovô Jairo curtindo a neta

Quando ao pai da Malu, eu não poderia ter escolhido melhor! Olha que durante a gestação eu tive medo de que ele não fosse um bom pai, ele era tão desajeitado com crianças! kkkkk Mas no mesmo instante em que a Malu nasceu, nasceu o papai Maurício!

A Malu foi o primeiro bebê que ele segurou no colo e na primeira noite ele já trocou fraldas e me ajudou a cuidar da Malu, pois nós ficamos sozinhos na maternidade. 

Ele sempre dividiu comigo o cuidado com a Malu, troca fraldas, dá banho, dá comida, brinca, passeia, leva ao pediatra e para tomar vacina, vai nas reuniões da escola... É um Paizão mesmo! 

Essas são só algumas fotos dos momentos em que eles estão juntos:









A esses dois pais e a todos os papais eu dedico essas palavras:

Querido papai:

Muito obrigada
pelos abraços, 
pelos risos e alegrias, 
pelos momentos especiais a cada dia. 

Por todas as maneiras
com que você demonstra 
o quanto me ama e se importa comigo. 

Por sua paciência e amor. 

Por tudo o que você faz por mim. 

Feliz Dia dos Pais






quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Ah, essas viroses!

Não tem nada pior para uma mãe do que ver o filho doente, né? Mesmo que não seja nada grave, o que mais queremos é ver a cria saudável o tempo todo. 

A Malu acordou ontem (terça-feira) estranha, manhosa, indisposta, muito diferente do seu normal, pois sempre acorda tagarelando e enchendo a casa com a sua alegria. Mesmo assim vesti o uniforme da escola pensando que podia ser só cansaço. Mas ela não quis comer nada, outro sinal que algo estava errado, e então, eu e o papai, decidimos não mandá-la para a escola e observar um pouco mais. 

Ela ficou a manhã toda deitadinha no sofá vendo TV, comeu muito pouco e pedia colo para a mamãe, mas estava sem febre. 

Fui trabalhar e o papai ficou com ela. Mas ficou muito preocupado e ligou para o pediatra agendando uma consulta. 

Fomos para a clinica e, chegando lá, a pequena começou com diarreia. Era esse o sintoma que faltava para deixar bem claro que se tratava de uma virose ou, como disse o Dr. Fernando, uma gastroenterite. 

O termo virose é muito conhecido das mamães, principalmente daquelas que tem filhos pequenos na escola e pode indicar tanto uma gripe ou resfriado, quanto um problema intestinal, que é o caso da Malu. 

Não existe muito o que fazer, o tratamento é sintomático, ou seja, para aliar os sintomas, analgésico para dor/febre,  soro para evitar desidratação e uma dieta leve. No mais, é esperar que passe em alguns dias.   

Então, a mamãe está em casa cuidando dela, fazendo a sua comidinha e trocando muitas fraldas. Mas, graças a Deus, a Malu está reagindo bem. Hoje já está mais disposta e comendo melhor, só a diarreia que ainda persiste, mas não na mesma freqüência que ontem. 

Espero logo, logo ver a minha princesa 100% bem!

Atualizando... Graças a Deus, a Malu se recuperou rapidinho da virose. Retornou à escola na sexta-feira e passou o final de semana super bem! O apetite voltou ao normal e a disposição par brincar também. 

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Receita - Bolinho de chuva sem leite de vaca

Sábado à tarde o tempo mudou, ficou friozinho e me deu uma vontade de comer bolinho de chuva... Eu não costumo fazer frituras em casa por causa da sujeira e do cheiro que fica... Mas a vontade era grande demais!!! kkkkk

Usei como base essa receita aqui, que com algumas pequenas adaptações ficou assim:

Ingredientes:

2 ovos 
3/4 xícara (chá) de açúcar 
3 colheres (sopa) de óleo 
1/2 colher (chá) de sal 
1 colher (sopa) de fermento em pó 
1 xícara (chá) de leite vegetal (usei leite de arroz)
2 xícaras (chá) de farinha de trigo (eu tive que acrescentar um pouco mais de farinha). 
óleo para fritar
açúcar e canela em pó para polvilhar

Modo de Preparo:

Numa tigela, junte os ovos, o óleo, o açúcar e o sal e misture muito bem. Acrescente alternadamente à mistura o leite vegetal e a farinha de trigo, mexendo sempre com uma colher. Junte o fermento e misture bem.
Numa panela média, coloque bastante óleo e leve ao fogo alto para aquecer. Quando o óleo estiver quente, abaixe o fogo (Eu esqueci de abaixar o fogo!)
Com cuidado, coloque pequenas porções de massa com uma colher no óleo quente. Deixe fritar até que os bolinhos fiquem dourados.
Com uma escumadeira, retire os bolinhos e coloque sobre um prato forrado com papel-toalha.
Num prato fundo, coloque açúcar e canela em pó e misture bem. Passe os bolinhos por essa mistura até envolvê-los completamente. Sirva a seguir.

Com a minha falta de prática em frituras, deixei o óleo esquentar demais e por isso os bolinhos ficaram tão moreninhos. 
Da próxima vez, eu vou fazer com 3/4 de leite, para não ter que acrescentar tanta farinha e também vou diminuir um pouco a quantidade de fermento, pois os bolinhos cresciam demais quando colocados no óleo quente. 
Coloquei pedacinhos de banana na massa e fiz alguns recheados. 

Não reparem na foto, ficou péssima, mas eu garanto que os bolinhos ficaram uma delícia!

Bolinhos de chuva "moreninhos"
 
* Use sempre produtos da sua confiança e que você tenha informações sobre os alergênicos. Em caso de dúvidas, consulte o SAC.

Semana Mundial de Aleitamento Materno

Eu já dediquei um post a esse assunto aqui, mas considerando a sua importância e por estarmos na Semana Mundial de Aleitamento Materno - SMAM, eu não poderia deixar de voltar a falar em amamentação

A Semana Mundial de Aleitamento Materno 2013, que teve início na última quinta-feira e segue até o dia 8 de agosto, tem como tema “Apoio às Mães que Amamentam: Próximo, Contínuo e Oportuno”. A campanha foi criada pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (Waba, do nome em inglês) e ocorre em 170 países, com a meta de aumentar os índices de aleitamento materno.



Eu não tenho dúvidas de que o sucesso que eu tive na amamentação da Maria Luísa se deve muito ao apoio que recebi na Clínica Santa Helena, onde ela nasceu.

A Malu nasceu de cesariana, mas saiu do centro cirúrgico junto comigo e foi colocada para mamar logo em seguida, ainda na sala de recuperação. Subimos para o quarto juntas e ela ficou grudadinha no peito o tempo todo, até a hora do primeiro banho. Esse contato na primeira hora de vida é essencial para o aleitamento, pois sugando, o bebê estimula o organismo da mãe a produzir leite. 

Além disso, eu contei com a ajuda das enfermeiras da Equipe de Apoio à Amamentação da Santa Helena que foram muito atenciosas, passavam no quarto para dar orientações e ainda vinham tirar as minhas dúvidas toda vez que eu chamava. Foram elas que me ensinaram a ver se a "pega" da Malu estava correta e me explicaram que a pega correta evita as terríveis rachaduras nos seios. Ao primeiro sinal de rachadura, elas me orientaram a usar uma pomada a base de lanolina e, rapidinho, fiquei bem.

Ao chegar em casa, no terceiro dia após o parto, o leite "desceu" com tudo!!! Isso é a prova de que a cesariana não impede a amamentação!

Acho que ninguém tem dúvidas quanto às vantagens que a amamentação traz, tanto para mãe quando para o bebê, mas não custa nada relembrar:
  • Auxilia do estabelecimento do vínculo mãe-bebê.
  • Constitui a mais econômica e eficaz  forma de redução da mortalidade infantil.
  • O leite materno tem tudo o que o bebê precisa até os seis meses, inclusive água, e é de mais fácil digestão. Além de ser muito mais prático!
  • Funciona como uma vacina, protegendo a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias.
  • Diminui os problemas ortodônticos e fonoaudiológicos associados ao uso de mamadeira, 
  • Para a mãe, facilita a involução uterina, além de estar associado a menor probabilidade de desenvolver câncer de mama e ovário. 

A Malu foi amamentada exclusivamente até os 6 meses, quando iniciamos a introdução dos alimentos sólidos, e mamou até 1 ano e 2 meses, quando ela decidiu que era hora de parar (apesar de eu estar preparada para amamentá-la pelo menos até os 2 anos).

Lendo vários relatos sobre o assunto nos blogs de outras mamães, eu conclui que tive mesmo muita sorte na amamentação da Maria Luísa. Para mim foi tudo muito tranquilo e eu não tive muitas dificuldades. Amamentar para mim foi muito natural e a experiência mais gratificante que a maternidade me proporcionou.



Que saudade que eu sinto de amamentar!