quarta-feira, 17 de julho de 2013

A importância da Cadeirinha

Este post é um pedido de uma amiga, a Nathália, mãe da pequena Luiza que tem a mesma idade da Malu, que eu não poderia deixar de atender.

No último final de semana, a Nathália passou por um grande susto quando a Luiza sofreu um acidente de carro junto com os tios. A pequena sempre anda em sua cadeirinha, mas na ocasião não estava porque os tios acharam que não era necessário, já que o trajeto era curto. 

Felizmente, a Luiza sofreu apenas ferimentos leves causados pelo air-bag do banco dianteiro que a atingiu no colo da tia e passa bem. Mas se estivesse na sua cadeirinha, certamente, ela não teria se machucado. 

Esse é o alerta que eu e a Nathália queremos fazer: Nunca deixe de colocar o seu filho na cadeirinha, mesmo que seja para ir só até a casa da avó ou a padaria da esquina. Nunca!

A Malu saiu da maternidade no seu bebê-conforto, que foi trocado por uma cadeirinha maior quando ela atingiu o peso limite do bebê-conforto. Ela está super acostumada com sua cadeira e, geralmente, não reclama de ficar nela. Mas depois do que aconteceu com a Lulu, pode até reclamar, que não ficará solta no carro de jeito nenhum!

Malu no seu primeiro passeio de carro

Feliz da vida quando ganhou a sua cadeira nova

Já que estamos falando no assunto, achei essas dicas para prevenção de acidentes da ONG Criança Segura muito interessantes:

DICAS PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CARRO

A maneira como a criança é transportada no carro pode ser tão importante quanto fatores como velocidade do veículo e condições da estrada. O acidente de trânsito (que vitima a criança na condição de pedestre, passageira de veículo e ciclista) é a causa líder de mortes por acidentes na faixa etária de 0 a 14 anos no Brasil. Em 2010, 685 crianças morreram como passageiras de veículos e 3.673 foram hospitalizadas, segundo Ministério da Saúde.

Como transportar a criança com segurança em um automóvel
A melhor proteção para a criança no carro é o uso de cadeiras e assentos de segurança. O cinto de segurança é projetado para adultos com no mínimo 1,45m de altura e por isso não protege os pequenos dos traumas de um acidente.

Nunca saia de carro com crianças sem estes sistemas de retenção, mesmo que seja para ir até a esquina.

Entretanto, não basta apenas comprar um desses artigos para garantir a segurança da criança. É essencial usar cadeiras certificadas, apropriadas ao peso da criança e que se adaptem devidamente ao seu veículo. É importante instalar o equipamento de acordo com as instruções do manual. A maioria das cadeiras e assentos de segurança é instalada de forma incorreta.

A Resolução 277 do CONTRAN – Conselho Nacional de Trânsito regulamentou o transporte de crianças em veículos. Segundo a norma, publicada em maio de 2008, crianças de até sete anos e meio devem ser transportadas obrigatoriamente no banco traseiro e em dispositivos de retenção de acordo com a idade. Em 2010, mas precisamente no dia 1º de setembro, iniciaram as ações de fiscalização por parte dos órgãos de trânsito. Para saber mais sobre a resolução e a forma correta de transportar a criança no veículo, faça uma aula virtual sobre o tema e consulte o Guia da Cadeirinha.

CADEIRAS AMERICANAS E EUROPÉIAS: são certificadas ou seguem normas específicas de seus países. Qualquer produto proveniente dos Estados Unidos ou da Europa leva obrigatoriamente o selo de certificação ou segue padrões de segurança para fabricação e testes.

CADEIRAS BRASILEIRAS: certifique-se de que possui o selo do Inmetro. Esta é a garantia de que o produto foi testado e pode resistir a um acidente. Se o produto não possui a certificação, não compre.

Saiba mais:
• Muitas colisões acontecem próximo à área de destino e origem ou em ruas com baixos limites de velocidade. Por isso é importante usar a cadeira sempre, mesmo em pequenas distâncias;
• Esteja atento ao selo de certificação de Padrões de Segurança Brasileiro (selo do Inmetro), Europeu ou Americano. O Brasil possui a NBR 14400, norma obrigatória que estabelece os requisitos de segurança de dispositivos de retenção para criança em veículos (cadeira e assento de segurança). Todos esses dispositivos vendidos em território nacional a partir de 1º/10/2008 devem conter o selo do Inmetro;
• Uma cadeira de segurança somente recebe o selo de certificação após passar pelos testes que garantem sua eficácia no caso de colisão:
• Teste estático: a cadeira é verificada quanto à resistência dos cintos, das fivelas, toxidade dos materiais usados, etc;
• Teste dinâmico: “car crash” - a cadeira é instalada dentro de um carro que colidirá contra um muro a 50 km/h.
• O airbag do passageiro pode machucar seriamente uma criança que estiver sentada no banco da frente, por isso, se for transportar uma criança em camionete, desative esse dispositivo;
• Estudos americanos mostram que cadeiras de segurança para crianças, quando instaladas e usadas corretamente, diminuem os riscos de morte em até 71% em caso de acidente;

Os ERROS mais comuns são:
• Usar uma cadeira inapropriada para a idade e o tamanho da criança;
• Colocar uma criança menor de 1 ano de idade ou com menos de 13 kg em uma cadeira de segurança de frente para o movimento;
• Não instalar a cadeira bem presa ao banco do carro e não colocar a criança corretamente na cadeira de segurança.

Aproveitando, não deixe de ver esta matéria do programa Bem Estar sobre as crianças que foram salvas pela cadeirinha.

Lembrando que algumas marcas de cadeirinhas estão fazendo um recall para a troca das fivelas do cinto. Veja mais informações aqui.

2 comentários:

  1. Será que há problema colocar a caderinha no meio do assento traseiro? Digo isso por causa do sol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline
      A Resolução não menciona nada a respeito, mas eu assisti uma reportagem em que um especialista falava que se o carro tiver o cinto de 3 pontos no assento do meio é o melhor lugar para instalar porque diminui os riscos em caso de colisão lateral. A cadeirinha da Malu fica no meio, mudamos depois de assistir essa reportagem.
      Beijos!

      Excluir

Muito obrigada pelo seu comentário!
Eu respondo por aqui. Volte para dar uma olhadinha na resposta.
Se precisar de uma reposta mais urgente, mande um e-mail lucianawinck@hotmail.com
Beijos!