terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Por amor e não por culpa!

São 3 horas da manhã e você acorda com um chamado "- mamãe, mamãe!"... Pula da cama e vai cambaleando até o quarto do seu pequeno ou pequena e encontra a "pessoinha" acordada, sentada no berço e sorrindo para você...

Ai, você pensa "- Meu Deus, eu quero dormir!" e faz o quê? Pega o filhote nos braços e leva para a sua cama, onde algum tempo depois (e alguns chutes e socos também), todos voltam a dormir...

Você já viu essa cena? Pois é, acontece de vez em quando lá em casa...

Imagem da internet

Quando eu estava grávida, imaginava que iria chegar da maternidade e colocar a Malu para dormir no seu bercinho desde a primeira noite. Cheguei até a ouvir conselhos nesse sentido. Mas quem disse que eu tive coragem? Ela dormiu no carrinho, ao lado da minha cama, até os 3 meses, depois passou a dormir no berço portátil, ainda no meu quarto, e só depois dos 6, quase 7 meses, a coloquei no berço no quarto dela.

Quanto à cama compartilhada, eu não tinha muita informação e não costumava colocar a Malu para dormir na nossa cama, porque, confesso, eu tinha medo. Lembro do meu pai falando que era perigoso!

Mas depois que ela deixou de ser uma bebezinha, de vez em quando, acontece de dormir com a mamãe e o papai. Seja por uma febre ou numa noite muito fria ou, simplesmente, porque acordou no meio da noite e perdeu o sono. Eu não vejo mal nenhum nisso, não acredito que atrapalhe o seu desenvolvimento ou a torne mais dependente. Até porque não é a rotina. Na maioria das noites, ela dorme no seu bercinho a noite toda.

Lembrei agora de um texto sem pé nem cabeça publicado na página da Revista Pais & Filhos (aqui) onde a autora (que nem mãe é!) alega que esse tipo de comportamento é gerado pela culpa que as mães carregam e por força da oxitocina (Hã?).

Pois eu digo que não é a culpa que me move! Posso não ser a melhor mãe do mundo, tenho muitos defeitos e cometo erros... Mas faço o melhor que posso e aquilo que acho que a minha filha precisa. Baseada nos meus instintos, por amor e não por culpa!

Nunca deixei a minha filha chorando no berço e não é agora que deixarei de atender ao seu chamado no meio da noite. Podem falar o que quiser! Ah! O texto fala em filhos grudentos. Pelo amor de Deus! Não existem filhos grudentos ou pais grudentos ou mães grudentas! Existem crianças que precisam de amor e atenção para tornarem-se adultos seguros!

5 comentários:

  1. Adorei, aqui em casa acontece isso quase todas as noites!!! e eu adoro!!!!

    ResponderExcluir
  2. Lá em casa acontece sempre! E é uma delícia dormirmos todos juntos! Meu filho é muito apegado à nós e carinhoso!

    ResponderExcluir
  3. Meus filhos maiores as vezes pedem pra dormirem comigo
    E meu pequeno adora
    Bjs
    http://soumaedecinco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Boa amiga!!
    Essa de dizer que CULPA é oque nos move em certos atos tá por fora.
    Concordo plenamente contigo é por AMOR!!
    Aqui também rola cama compartilhada de vez em sempre
    Carlah Ventura - Intensa Vida

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo seu comentário!
Eu respondo por aqui. Volte para dar uma olhadinha na resposta.
Se precisar de uma reposta mais urgente, mande um e-mail lucianawinck@hotmail.com
Beijos!