segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O Papai Noel levou a chupeta!

A Maria Luísa pegou a chupeta ainda na maternidade... Juro que tentei não oferecer, mas depois de passar a primeira noite inteirinha com ela no peito (era só tirá-la para começar um berreiro), vi que ela tinha necessidade de sugar e a chupeta virou minha grande aliada. 

Apesar de todas as críticas ao uso do bico, eu não me arrependo de ter oferecido, não tive nenhum problema na amamentação ou qualquer outro por isso. Mas tomávamos alguns cuidados: as chupetas eram ortodônticas, trocadas a cada 3 meses em média e não deixávamos que ela usasse o tempo todo. Ela usava para dormir e nos momentos de cansaço. Na escola também, a professora tirava assim que ela chegava. 

Na primeira consulta com o dentista, ela já tinha quase 2 anos e fomos orientados a não deixar que ela passasse dos 3 anos usando chupeta para não prejudicar a sua dentição. Então, o papai começou a planejar como a retirada. 

Desde a metade do ano passado, ele começou a falar para ela que o Papai Noel iria levar a chupeta em troca dos presentes de Natal. No final do ano, com a proximidade das festividades, a mensagem era reforçada a todo momento e a própria Malu já estava falando que iria entregar a chupeta. 

Na noite de Natal, depois da entrega dos presentes, ela pediu o seu "mumú" (nome que ela deu para o bico) e o papai falou que o Papai Noel tinha levado embora. Rapidamente, eu escondi as chupetas (tinha esquecido de fazer isso antes!).

Já era tarde, passava da hora que ela costuma dormir, quando a levei para o quarto. Fiquei alguns minutos com ela no colo. Ela estava muito agitada por conta da visita do Papai Noel, os presentes, etc. Quando se acalmou, a coloquei no berço. Ela pediu a chupeta e, mais uma vez, eu expliquei que o Papai Noel tinha levado. Ela então pediu para eu ficar com ela no quarto, sentei na poltrona de amamentação e alguns minutos depois ela adormeceu, vencida pelo cansaço.

Pensei que ela iria acordar pedindo pela chupeta, mas, para minha surpresa, ela passou o dia inteiro sem perguntar nada. A hora da soneca foi um pouco complicada, ela tinha dificuldade em se acalmar para dormir, mas não pediu a chupeta. À noite foi a mesma coisa. 

No dia 26/12 fomos para a praia. Passamos 9 noites fora da rotina e em cama compartilhada. O que de certa forma a ajudou nessa transição. Ela exigia mais a minha presença na hora de dormir, demorava um pouco para pegar no sono, mas não pedia mais a chupeta. 

Voltando para casa, tivemos que fazer uma readaptação ao berço e à "vida sem chupeta". Como quando ela começou a adormecer sozinha, eu (ou o papai) sentava na poltrona de amamentação até ela pegar no sono.

Confesso que eu não esperava que essa transição fosse assim tão tranquila! Sempre que eu pensava na retirada da chupeta, imaginava que seriam noites sem dormir, com ela chorando. Ainda bem que eu estava errada!

Hoje eu agradeço ao papai por ter sido tão persistente (talvez eu tivesse esperado mais um pouco) e começado a prepará-la cedo. Foi graças a essa preparação que ela superou essa fase em traumas. 

Chupeta agora, só nas fotos...

A primeira foto, ainda na maternidade, com algumas horas de vida


A última foto, alguns dias antes do Natal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada pelo seu comentário!
Eu respondo por aqui. Volte para dar uma olhadinha na resposta.
Se precisar de uma reposta mais urgente, mande um e-mail lucianawinck@hotmail.com
Beijos!