sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Alergia à ácaros

Como eu contei nesse post aqui, no último Prick-test que a Malu fez, descobrimos que ela tem alergia moderada à ácaros, lembram?

Perto da APLV, essa alergia nem me assusta tanto, eu mesma convivo bem com ela desde que me conheço por gente, mas são necessários alguns cuidados para evitar as crises, já que os sintomas são bem desagradáveis. 

Eu costumo ter espirros, coriza ou congestão nasal. Já a Malu, apresenta aumento da secreção nasal (que não saí, fica dentro do nariz) e tosse. 

Para entender um pouco melhor: Qual a relação dos ácaros com a alergia? 

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 30% da população mundial sofre com algum tipo de alergia. A rinite, a sinusite e a asma são as alergias que lideram o ranking das alergias respiratórias. Na maioria dos casos, em torno de 80%, estas reações são causadas pelos ácaros, pequenos aracnídeos que habitam um lugar que poucos imaginam: nossa casa, mais especificamente nossa cama.

Os ácaros são bichinhos microscópicos, que são vistos apenas com a ajuda de aparelhos. Estes parasitas se alimentam do resto da pele humana, e por este motivo nossos colchões e travesseiros representam um banquete para eles. Uma pessoa “produz” e “descama” cerca de 1,2 gramas de pele por dia e este número é suficiente para alimentar cerca de 100.000 ácaros.

Para se ter uma ideia da gravidade do problema, pense em seu travesseiro: o alergista Clóvis Galvão alerta que, em apenas dois anos de uso, um terço do peso do seu travesseiro é formado por ácaros.

No entanto, não é apenas em nossas camas que eles podem viver e se reproduzir. Todo ambiente quente, úmido e escuro pode servir de habitat para os ácaros, bem como os bichinhos de pelúcia, os tapetes e carpetes e também as cortinas.
 
Informações extraídas daqui.

No dia 06 de maio de 2013, o Programa Bem Estar apresentou uma excelente matéria dedicada às alergias respiratórias e seu maior causador: os ácaros. Não deixe de assistir.
 
O alergista da Malu passou algumas orientações para evitar a alergia à poeira da casa, constituída por ácaros, fungos, restos de insetos e epitélios de animais.
  1. O piso da casa, e do quarto em especial, deve ser de um material fácil de limpar e devem ser limpos diariamente com um pano úmido (não levanta o pó).
  2. Os tapetes e, principalmente, os carpetes devem ser evitados.
  3. Evitar excesso de enfeites ou objetos como almofadas, plantas, bonecas, livros, móbiles, que dificultem a limpeza. Guarde livros e brinquedos em armários fechados. Dê preferência aos brinquedos fáceis de limpar e evite os de pelúcia. 
  4. Limpe frequentemente com pano úmido todas as superfícies do quarto que possam acumular pó, como mesas, estantes, prateleiras, molduras de quadros e, principalmente, em cima de guarda-roupa e armários. 
  5. As cortinas e/ou persianas devem ser lavadas a cada 2 ou 3 semanas.
  6. Cobertores e roupas que ficam guardadas longo tempo devem ser lavadas (idealmente com água quente) previamente ao uso.
  7. O colchão e o travesseiro devem ter uma capa impermeável totalmente vedada que possa ser limpa semanalmente.
  8. Deixe o quarto bem ventilado e ensolarado. Se houver mofo nas paredes, limpe o local com solução de hipoclorito de sódio (1 litro de água + 3 colheres de sopa de água sanitária).
  9. Se houver muitos insetos, principalmente baratas, faça uma desinsetização periódica  (evitando o ambiente por alguns dias).
  10. É importante evitar os poluentes, principalmente fumo e inseticidas de tomada
  11. Evite animais em casa. Se não for possível, não permita o seu acesso ao quarto da pessoa alérgica.
A maioria desses cuidados com a casa, eu já costumava fazer, em virtude da minha alergia. Limpo a casa somente com aspirador de pó e pano úmido, nunca uso vassoura. Quase não temos tapetes, almofadas e enfeites pela casa. Eu lavo periodicamente todos os brinquedos, principalmente, os bichos de pelúcia, bem como as cortinas e roupas de cama. Nunca uso uma roupa que esteja a muito tempo guardada.

No quarto da Malu, trocamos o inseticida de tomada com veneno por um ultrassônico (disponível na Loja Alergoshop) e colocamos capa impermeável no colchão e travesseiro.

Então, é isso... Deixamos de nos preocupar com a alergia alimentar e passamos a cuidar da respiratória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada pelo seu comentário!
Eu respondo por aqui. Volte para dar uma olhadinha na resposta.
Se precisar de uma reposta mais urgente, mande um e-mail lucianawinck@hotmail.com
Beijos!