sexta-feira, 28 de março de 2014

Informações básicas sobre APLV

Hoje eu venho falar do que considero mais importante quando se descobre que tem um filho com uma alergia alimentar: a busca por informações. Mães e pais de crianças alérgicas precisam tornarem-se PhD no assunto!

Já vou avisando que a tarefa não é fácil! Na maioria das vezes, a gente sai dos consultórios médicos com mais dúvidas do que entrou... Isso quando não temos que passar por um verdadeiro calvário, de consultório em consultório, sendo atendidos por médicos que não entendem nada de alergia (mas esse é assunto para um outro post).

Quando a Malu teve a primeira reação alérgica aos 5 meses (depois de tomar 70 ml de Nestogeno teve manchas vermelhas no rosto e corpo), eu não tinha ideia que existia Alergia à Proteína do Leite - APLV, mas fiquei preocupada e resolvemos levar a Malu ao pediatra no mesmo dia. Chegando lá, todos os sintomas já tinham desaparecido e o pediatra ficou me olhando como se eu fosse maluca. Ele me disse que ela não poderia ser alérgica à proteína do leite, porque tinha um ótimo peso e, até então, vinha tomado somente leite materno...

Mas eu não me conformei, a minha intuição dizia que algo estava errado, passei a vasculhar a internet em busca de informações sobre a alergia e tive a certeza que a minha filha era APLV. O que só foi confirmado por um médico depois de outras reações ao contato com o leite.

Hoje, depois de 2 anos, eu relembro desses momentos e penso no quanto me fez falta conhecer mais sobre esse assunto... O refluxo desde os 10 dias de vida, tratado como fisiológico, a dermatite atópica antes dos 3 meses, tratada com medicamentos e produtos de higiene especiais, já não sugeriam uma possível alergia alimentar?

Acho que é por esse motivo que eu assumi como dever divulgar informações sobre a APLV de todas as formas possíveis. Falo tanto nesse assunto que as pessoas devem me achar a mais chata do mundo, mas eu não perco a oportunidade de repassar o que eu aprendi, faço parte de grupos de mães, uso o meu perfil no facebook e esse blog.

Então, mamães, eu gostaria de passar algumas informações básicas para quem está chegando nesse mundo agora:
  • Desconfie de APLV se o seu bebê apresentar um ou mais sintomas, como: diarréia, sangue ou muco nas fezes, prisão de ventre, irritabilidade, refluxo, vômitos, vermelhidão ou lesões na pele, perda de peso, chiado no peito, infecções repetitivas, entre outros. 
  • Entenda que Alergia à Proteína do Leite é diferente de Intolerância à Lactose. Não existe alergia à lactose! Cuidado: produtos sem lactose podem conter a proteína do leite, que é o que causa reação no alérgico. Veja mais aqui.
  • Mães que amamentam precisam fazer dieta de exclusão de leite e derivados. Eu fui orientada pelo alergista a não fazer dieta, porque a Malu não tinha reações com o leite materno, mas me arrependo muito. A proteína do leite de vaca passa pelo leite materno e alguns estudos indicam que a criança que permanece em contato com o alergênico tem a cura retardada. Dependendo do caso, a dieta pode excluir também outros alimentos, principalmente: soja, carne vermelha, frutos do mar, oleaginosas, etc.
  • Fique atenta aos rótulos dos alimentos. O leite pode aparecer com outros nomes nos produtos, observe essa listagem aqui. Se no rótulo não constar a informação de que não possui leite, não se dê por satisfeito, pois a maioria das indústrias brasileiras não rotula corretamente os produtos e não são mencionados os traços (resíduos do alergênico no maquinário utilizado). Então, o mais seguro é entrar em contato com o SAC da empresa perguntando se o produto é feito com leite e/ou em equipamentos onde são processados alimentos com leite.
  • Tome cuidado com a contaminação de utensílios domésticos, troque o copo do liquidificador, se for de plástico. e potes onde são guardados os alimentos. Tenha uma esponja de louça para lavar os utensílios que tenham contato com leite e outra para os demais. 
Para mais informações sobre a APLV, veja Alergia à Proteína do Leite de Vaca



2 comentários:

  1. Excelente post Lu!!!!!
    As informações são ótimas, nem passava pela minha cabeça isso de ter 2 esponjas e etc!!!
    Com ctz poderá ajudar muitas mães que procuram por informações de APLV.
    A Loly como vc sabe tem IL, tb teve refluxo qdo pequena e tb desconfiei que ela era IL antes do médico, ele dizia que não e eu provei que sim!!! Gosto e confio muito no pediatra dela, mas nessa parte ele deixou a desejar... podíamos ter descoberto a IL bem antes tb!!
    Mas enfim, acho importante usarmos o blog para difundir essas informações mesmo!!
    Um beijão,
    Dani
    www.maedaloly.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dani
      Que bom que você gostou.
      Obrigada pela visita e comentário.
      Beijos!
      Luciana

      Excluir

Muito obrigada pelo seu comentário!
Eu respondo por aqui. Volte para dar uma olhadinha na resposta.
Se precisar de uma reposta mais urgente, mande um e-mail lucianawinck@hotmail.com
Beijos!